Doença Periodontal

A doença periodontal ou periodontite é muitas vezes a causa da perda dos dentes e ainda suscita algumas dúvidas nos pacientes. A perda de dentes é, infelizmente, algo ainda muito comum e que por vezes se associa à velhice o que nem sempre é o caso.

 

 

Se pensa que a doença periodontal aparece apenas nas pessoas mais velhas, engana-se. Jovens adultos e até algumas crianças podem revelar este problema.

A periodontite é uma doença que se instala nos tecidos de suporte do dente (chamado periodonto). A sua evolução faz com que o dente perca o seu suporte ósseo e gengival.

Uma das principais causas de destruição dos tecidos de suporte é a acumulação de placa bacteriana ao redor dos dentes. A placa bacteriana começa a acumular-se logo desde o nascimento dos dentes de leite.

A sua existência é normal e impossível de evitar, já que deriva dos restos alimentares, bactérias existentes na cavidade oral, descamação de células, minerais, etc. O que deve ser evitado é a sua agregação e mineralização à volta dos dentes (formando o tártaro).

O simples acumular de placa bacteriana pela falta de higiene após as refeições ou uma má escovagem leva à inflamação da gengiva e posteriormente ao aparecimento da doença periodontal.

Se a inflamação, que é provocada pela placa bacteriana e tártaro, não for devidamente tratada, a evolução do problema resulta na maioria dos casos em periodontite.

O tártaro acumulado à volta dos dentes, junto à gengiva, pode levar à formação de espaços entre o dente e o osso onde vão proliferar bactérias e posteriormente causar a perda óssea em volta do dente por inflamação.

Esta doença que causa a perda dos dentes, pode ser evitada com uma boa escovagem e uso de fio dentário regularmente para manter a boa higiene oral, assim como visitas regulares ao dentista para higienização profissional.

 

Sintomas

  • Sangramento da gengiva durante a escovagem dos dentes. Uma gengiva saudável não sangra à escovagem…
  • Mobilidade dentária – sinal de perda de suporte por danos nos tecidos de suporte dentário.
  • Aparecimento de espaços entre os dentes.
  • Surgimento de mau hálito acentuado e a formação de uma goma branca em volta o dente.
  • Retração gengival, isto é, diminuição da área da gengiva e uma exposição da raíz do dente.
  • Gengiva avermelhada e por vezes arroxeada.
  • Gengiva sensível e inchada.

A gengiva deve ser rosada .

A inflamação da gengiva e a mobilidade dos dentes são os primeiros sinais.

Num estado avançado a gengiva retrai e fica vermelha, pode haver perda de dentes.

 

A periodontite tem cura?

A doença periodontal tem cura e deve ser tratada o mais brevemente possível. Contudo, as consequências deste problema são irreversíveis, tais como a perda óssea e a destruição do ligamento periodontal. No entanto com os tratamentos adequados, é possível ser quebrada a sua progressão e eliminada a doença.

 

Tratamento

Antes do tratamento é fulcral realizar alguns exames de diagnóstico para que haja a elaboração de um plano de tratamentos mais adequado ao caso em questão.

Na maioria dos casos o tratamento passa pela eliminação da placa bacteriana e tártaro para promover a redução da quantidade de bactérias que estão associadas à periodontite. Desta forma há uma estabilização da evolução da doença.

É necessário identificar os fatores que contribuem para a formação da placa bacteriana e que ponham em causa a higiene oral do paciente. Essas condições poderão ser de saúde geral do paciente e podem contribuir para a evolução da periodontite (tabaco, diabetes, gravidez, alguns medicamentos, doenças oncologicas, stress, etc).

Há também uma avaliação dos dentes que possam estar irremediavelmente afetados e que não tenham solução.

Dependendo dos casos poderá ter de ser feita intervenção cirúrgica e administrada medicação adequada ao tratamento.

 

Por fim, é de salientar a importância da higiene oral para a prevenção destas doenças e marcar consultas periódicas com o seu médico dentista.